por

Dia Mundial de combate a LER/DORT

Hoje é comemorado Dia Mundial de combate a LER/DORT e preparamos um post em nosso blog explicando sobre esse assunto.

 

 

 

LER é uma sigla referente a “Lesões por Esforços Repetitivos”, que consiste em um conjunto de doenças caracterizadas por sobrecarga no sistema musculoesquelético, principalmente no que tange os membros superiores, que geralmente são os membros que mais realizam tarefas, como os dedos, as mãos, os punhos, os braços e os ombros, mas pode também referir-se aos membros inferiores, que envolvem o joelho, as pernas e o quadril; e à coluna vertebral, que envolve pescoço, região torácica, lombar e cóccix.

A sigla DORT, por sua vez, refere-se a “Distúrbios Osteomusculares Relacionados Ao Trabalho”, é possível perceber que essa sigla é mais específica, indica que os distúrbios são em nível ósseo e muscular, apontando que a doença se refere ao sistema musculoesquelético, diferente da sigla LER, que apesar de a doença se referir a tal sistema, a sigla não indica isso; além disso, a sigla DORT especifica também que são doenças ocupacionais.

 

Causas da LER/DORT

O próprio trabalho pode exigir movimentos repetidos diariamente; consiste nas condições físicas do ambiente de trabalho.

Sintomas de LER/DORT

Como a LER/DORT é abrangente, os sintomas variam de acordo com a afecção. Porém, os sintomas encontrados, em geral, envolvem fadiga muscular, dor na região afetada, inflamação, inchaço, etc.

Agora, de forma específica, veja abaixo a descrição dos sintomas das principais afecções consideradas como LER/DORT:

  • Tendinopatias: dor na região afetada (ombro, joelho ou no braço), dor irradiada para regiões próximas, fraqueza, inchaço, limitação do movimento, cãibras
  • Bursites: dor na região, limitação de movimento;
  • Lombalgia:dor na lombar, alteração postural, dificuldade em realizar alguns movimentos, dor irradiada para perna, quadril e nádegas;
  • Mialgia:dor em músculo específico ou grupo muscular, a dor é caracterizada pela sensação de estiramento, formigamento, dormência, fisgada ou queimação.

Tratamento de LER/DORT

Assim como a sintomatologia, os tratamentos de LER/DORT variam de acordo com a afecção específica, mas no geral envolvem a administração de medicamentos, fisioterapia e em alguns casos pode ser indicada a cirurgia.

Também está incluso no tratamento geral o repouso, a extinção dos fatores e eventos desencadeantes, prática regular de atividade física, psicoterapia e a adaptação do ambiente de trabalho de forma que esse se torne adequado à saúde do trabalhador.

Os medicamentos utilizados no tratamento de LER/DORT costumam ser analgésicos e anti-inflamatórios, mas em alguns casos pode haver a necessidade da administração de relaxante muscular, de antidepressivos tricíclicos e de infiltração de corticoides.

A fisioterapia, por sua vez, auxilia em todos os casos de LER/DORT, pois ela é capaz de contribuir para o alívio da dor, aumentar a flexibilidade dos músculos e ligamentos, bem como fortalecer gradualmente os músculos dando resistência e sustentação aos ossos e ainda, auxilia na recuperação correta dos movimentos, já que na maioria dos casos o paciente evita ou é limitado a movimentar o local afetado.

A cirurgia é indicada apenas para casos que não respondem bem ao tratamento conservador. O procedimento cirúrgico depende da patologia, por exemplo, se for uma afecção em alguma articulação, poderá ser realizada a artroscopia, já se a afecção for muscular ou em estrutura óssea, a cirurgia poderá ser de via aberta.

O repouso é indicado logo quando aparecem os primeiros sintomas de LER/DORT e isso, dependendo da patologia, poderá incluir a imobilização da região afetada, como em casos de tendinopatias ou bursites. Além disso, a tarefa que oferece esforço repetitivo deve ser evitada até que o médico autorize o retorno.

 

 

por

Integração de colaboradores – COSERN

 

A integração dos colaboradores é uma etapa importante para o desenvolvimento de um trabalho de excelência. Após todos os treinamentos e capacitações, nossa equipe está pronta para levar  com excelência uma energia de qualidade até a sua casa. Agradecemos a todos os colaboradores que fizeram parte desse momento.

Somos excelentes, somos Ecoman!

por

Chegamos, Rio Grande do Norte

 

Chegamos para contribuir com excelência no avanço e crescimento do Rio Grande do Norte

por

Chegamos, Bahia

Chegamos para contribuir com excelência no avanço e crescimento da Bahia, agora a serviço do Grupo Neo Energia – Coelba.

por

4 VANTAGENS QUE O USO DA LÂMPADA LED TRAZ PARA A SUA CASA E PARA O MEIO AMBIENTE

 

4 vantagens que o uso de lâmpada LED traz para a sua casa e para o meio ambiente

• Mais luz e mais economia de energia ao mesmo tempo

Essa é sem dúvida uma enorme vantagem. A luz desse tipo de material leva a uma economia que varia de 50% a 80% na conta quando comparada com os modelos tradicionais. Isso porque ela é mais forte e intensa que as lâmpadas convencionais.

• Mais ecológica

Como esse tipo de iluminação ajuda a reduzir o consumo de energia elétrica isso significa menos emissão de carbono no meio ambiente. As lâmpadas LED também não emitem radiação UV e não possuem mercúrio em sua composição. Isso significa que podem ser utilizadas em ambientes onde esse tipo de radiação não é desejada.

• Mais possibilidade de ajustar espectros de cor

Por ser um material de utilização mais fácil pela indústria, há mais chances de existirem modelos no mercado com variação de luz, intensidade e direção. Você pode escolher o tipo que tenha mais a ver com o estilo da sua casa. Além disso, a composição de cores pode ser pensada para escritórios, espaços abertos e onde mais você quiser iluminar. Existe o LED branco, o verde, o azul e diversas outras cores.

• Mais vida útil

As lâmpadas LED possuem uma vida útil muito maior em comparação com as tradicionais. A luz incandescente dura cerca de mil horas e a fluorescente dez mil horas. Já o LED tem capacidade para funcionar por cerca de 50 mil horas. Isso significa que o investimento vale muito a pena, pois você não vai precisar trocar a lâmpada com a frequência das convencionais. Como se não bastassem todas as vantagens esse tipo de lâmpada é fria e não esquenta o ambiente. O espaço fica bem iluminado e muito mais confortável.

 

 

Fonte: google

por

20 anos Ecoman

19 de junho de 2000 um homem com um sonho de trazer novos horizontes e abranger o mercado elétrico brasileiro fundou a Ecoman, seu nome é Marcelo Sena, engenheiro mecânico que desde muito cedo sempre teve um visão extraordinário sobre o futuro.

Seus filhos Tharciana, Luciana e Fábio Senna herdaram do seu pai a paixão pela engenharia, gestão e inovação e contribuem juntos, para o orgulho do seu pai, do crescimento horizontal e vertical da Ecoman.

Pode-se afirmar que durante esses anos desafios foram vencidos, conquistas foram ganhas, homens e mulheres cresceram profissionalmente e como pessoas, estados foram alcançadas e cidades receberam serviços de excelência.

Em 20 anos muitas coisas mudaram, mas o nosso compromisso de levar até a sua casa uma energia de qualidade continua o mesmo, trazendo consigo inovação, melhorias e uma gestão da qualidade.

Acreditamos que não seriamos capazes sozinhos, por trás de todas as nossas conquistas existem colaboradores empenhados, motivados e excelentes.

É um crescimento sólido com bases na verdade, honestidade e acima de tudo no respeito para com todos.

Nosso sucesso veio através de muito trabalho e ainda tem muito mais pela frente.

O nosso muito obrigado a todos que fazem da Ecoman uma empresa de excelência em todos os seus processos!

por

Você sabe usar máscara?

 

Você sabe usar de forma correta a sua máscara? Separamos alguns pontos importantes para você:

 

  • O tempo de permanência com a máscara varia de acordo com o material com que ela foi feito. As máscaras de tecido, recomendadas pelo Ministério da Saúde, devem ser trocadas a cada duas horas;
  • Além disso, quanto mais a pessoa falar usando a máscara, mais rápido ela ficará úmida, e será necessário trocá-la;
  • No momento de troca da máscara, é importante não colocar as mãos no meio delas, já que o tecido pode estar contaminado. É preciso puxar pelos elásticos que envolvem as orelhas;
  • A sugestão para o descarte, especialmente nos momentos em que não se está em casa e não poderá lavá-la imediatamente, é usar um envelope de papel para armazenar na bolsa. Sendo assim, na hora de lavar, é só abrir o envelope, puxar a máscara pela alça e jogar o papel no lixo;
  • A lavagem pode ser feita com água e sabão ou detergente, depois é só esperar ela secar. Recomenda-se, ainda, o uso de ferro de passar, já que a alta temperatura também inativa o vírus;
  • As máscaras mais comuns, confeccionadas com TNT não podem ser reutilizadas, nem lavadas;
  • Caso a pessoa espirre, é importante que, em seguida, ela troque por uma extra que tenha na bolsa;
  • As máscara N95, que tem a parte metálica para se ajustar ao nariz pode ser reutilizada, mas é de uso exclusivo dos profissionais de saúde quando estão nos hospitais;

 

Fonte: CNN Brasil